Buscar
  • Quantic Flora

Óleo de rícino: o guia definitivo para seu cabelo!

Atualizado: 19 de Jun de 2021

Com alto poder hidratante, ele fortalece os fios e é um aliado para cuidar da pele!

O óleo de rícino é extraído das sementes da mamona, que corresponde a aproximadamente 50% do total da semente.

É o principal produto derivado da mamoeira, conhecida popularmente por Mamona, Baga, Carrapateira, Bafureira.

A mamoeira (Ricinus comunis L.) se desenvolve em diversas regiões do Brasil, principalmente no Ceará e na Bahia. Acredita-se que essa planta tenha origem africana ou asiática, mas não se sabe ao certo.



É utilizada há milhares de anos na Índia e no Egito (era usado como um remédio natural, para tratar, por exemplo, irritação nos olhos; também utilizado como combustível em lâmpadas), podendo atingir até 6 metros. Tem forma de arbusto, com ramos avermelhados que variam de coloração dependendo da região.

O fruto da mamoeira é chamado de rícino ou mamona. Pode ter diversos tamanhos, possuindo em seu interior, sementes lisas e ovais.

A ingestão das sementes pode ser perigosa, pois elas são venenosas devido à presença de ricina, uma proteína tóxica, que mesmo em baixas doses, pode levar à morte.

O óleo de mamona, como também é conhecido o óleo de rícino, não é tóxico, pois durante a sua extração, a ricina não se mistura com o óleo, sendo assim um óleo extremamente seguro para o seu uso. A ricina não é solúvel em óleo, sendo separada durante o processo de extração.

A extração pode ser feita por prensagem a quente, a frio ou por solvente. As sementes são limpas e passam por um cozimento; a goma é removida para obter-se o óleo de rícino.

O óleo de rícino que utilizamos em nossas formulações é extraído por prensagem a frio, originando um óleo livre de ricina, impurezas e acidez: um óleo incolor e límpido.

Para fins industriais, as sementes da mamona são prensadas a quente, resultando em um óleo de rícino com acidez (em torno de 1%) e de impurezas (0,5%), sendo, portanto, inadequado para uso medicinal ou cosmético.

O óleo de rícino é usado em muitos tratamentos por suas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, bactericida e fungicida. Por isso é um poderoso incentivador e auxiliar no crescimento capilar.

Composição do óleo de rícino

Composto por ácidos graxos, sendo que 95% é do ácido ricinoleico e, o restante é dado pelos ácidos palmítico, oleico (ômega 9), linoleico, ácido linolênico (ômega 6), ácido esteárico, vitamina E e sais minerais. A alta viscosidade do óleo de rícino se deve ao ácido ricinoleico. Apenas a mamoeira possui o ácido ricinoleico.

Utilização do óleo de rícino

Na indústria o óleo de rícino é usado na fabricação de colas, plásticos, náilon, lubrificantes, tintas e vernizes. Utilizado ainda em transformadores, compressores e lubrificantes biodegradáveis.

Quero te lembrar que o óleo de rícino utilizado na Fórmula da Quantic Flora é o de uso medicinal, sem impurezas ou acidez! Ficando isso claro, vamos conversar sobre os benefícios do óleo de rícino para os cabelos!!


Óleo de rícino para os cabelos

Nós, da Quantic Flora, pensando em você, facilitamos o uso do óleo de rícino.

Como?

Colocamos o óleo de rícino em nossa formulação (Shampoo, Condicionador, Tônico capilar e Tônico para sobrancelhas) na concentração adequada, fazendo com que o uso seja eficaz e livre de contaminações.

Como assim?

Simples: para utilizar o óleo de rícino (puro é muito viscoso e tem um odor, que muitas pessoas acham desagradável) é indicado dissolver em algumas gotas de óleo essencial. Para que você não precise fazer essa alquimia, em nossos produtos também utilizamos os óleos essenciais (faremos textos também sobre eles).

Resultado: facilidade no uso, eficácia dos produtos.

O óleo de rícino tem inúmeras propriedades para uso nos cabelos:

· Hidratação dos fios de cabelo: para cabelos ressecados, pontas duplas e coceira no couro cabeludo. Deixa os cabelos brilhantes e sedosos. Os ácidos graxos do óleo de rícino (ômega 6 e o ômega 9) formam uma película que impede a perda de água para o ambiente.

· Tratamento eficaz para a dermatite seborreica, descamação e caspa, pelas suas propriedades anti-inflamatórias e hidratantes. As propriedades antifúngicas do óleo de rícino ajudam a limpar o couro cabeludo, combatendo a caspa, que geralmente é causada por fungos. O óleo de rícino evita o ressecamento dos fios, prevenindo a descamação do couro cabeludo.

· Ajuda no combate à oleosidade excessiva: pela propriedade de limpeza, ajuda a combater o excesso de oleosidade do couro cabeludo, principalmente quando existem fungos e bactérias estimulando a produção excessiva de óleo pelas glândulas sebáceas existentes no couro cabeludo.

· Ajuda no crescimento dos fios e no fortalecimento do couro cabeludo: as propriedades antibacterianas e antifúngicas do óleo de rícino combatem as bactérias e os fungos que poderiam impedir o crescimento capilar.

· Crescimento de cabelos mais fortes e restauração: graças ao ômega 9 e ao ômega 6, o óleo de rícino é capaz de dar maior volume aos fios do cabelo. Esses ácidos graxos estimulam os folículos pilosos (local onde os cabelos nascem) e o couro cabeludo, deixando os fios mais fortes. Esses nutrientes selam a cutícula dos fi